colaboradores satisfeitos

Colaboradores satisfeitos X engajados: conheça as diferenças

Por que uma empresa deve investir em colaboradores satisfeitos e como incentivar que eles se tornem engajados e participativos no ambiente corporativo.

Quantas vezes você teve um colaborador dedicado que saiu da empresa sem qualquer aviso? Isso acontece com gerentes em todo o mundo. Inclusive, segundo uma pesquisa realizada pelo Work Institute, 2018 foi um ano recorde de demissão voluntária nos Estados Unidos.  O número de colaboradores deixando seus empregos atingiu 41,4 milhões.

Na maioria das vezes, esses funcionários não dão um motivo concreto para sair, mas em quase 50% dos casos isso pode ser atribuído a apenas uma coisa: baixa satisfação do funcionário.

Esses funcionários podem ter trabalhado duro e se engajado com o propósito da empresa, mas algo fundamental estava faltando para que eles se sentissem satisfeitos com o trabalho. A partir disso, surge uma questão: qual a diferença entre colaboradores engajados e colaboradores satisfeitos?

A satisfação é uma métrica difícil que muitas vezes se confunde com o engajamento. A verdade é que funcionários engajados ainda podem estar insatisfeitos com o trabalho. Mas a boa notícia é que é possível reverter esse cenário e fazê-los permanecer e crescer com a empresa.

Entenda mais sobre a satisfação do colaborador, suas diferenças com o engajamento e como aumentar esses índices para reter funcionários e atrair novos talentos.

Quais as características dos colaboradores satisfeitos?

A satisfação do colaborador se traduz no quanto ele está contente dentro de sua função. Isso inclui o fato de ele não estar procurando por um emprego melhor, porque o atual está atendendo suas necessidades básicas.

Os fatores que podemos examinar em relação à satisfação dos funcionários são: remuneração, benefícios, equilíbrio entre vida pessoal e profissional, condições de trabalho e apoio e reconhecimento. Esses fatores são importantes, pois:

  • Possuem valor monetário, ou
  • São tão essenciais para o bem-estar do funcionário que não podem ser ignorados, como tirar uma folga ou trabalhar em um ambiente seguro.

Vamos examiná-los mais de perto.

Remuneração

Arriscamos dizer que a remuneração é o fator mais importante para medir a satisfação do colaborador. Isso porque, as pessoas geralmente não se sentem satisfeitas ou felizes se suas necessidades básicas não forem atendidas. Por isso, ter uma média salarial menor que a do mercado é prejudicial para a imagem da empresa.

Benefícios

Treinamentos, brindes, presentinhos: esqueça esses itens quando pensar em dar algum benefício para o colaborador. Esses exemplos são ótimos para o engajamento, mas não tanto para a satisfação do funcionário. Em vez disso, concentre-se nos benefícios que têm um valor monetário claro associado a eles, como auxílio-creche, licença remunerada e plano de saúde, por exemplo.

Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal

A maioria das pessoas trabalha para viver, e não o contrário. Mesmo que seus funcionários sejam empenhados e motivados a superar seus resultados, ainda é necessário se certificar de que eles tenham um bom equilíbrio entre vida pessoal e profissional para evitar o esgotamento.

Condições de trabalho

As pessoas querem se sentir seguras em seu local de trabalho, tanto do perigo físico quanto do abuso mental ou emocional de superiores ou colegas. Novamente, estamos falando de uma necessidade básica, mas fundamental. Se as pessoas se sentem em perigo, ameaçadas, assediadas, nenhuma quantia em dinheiro ou benefícios será capaz de compensar totalmente por isso.

Reconhecimento

É importante que os funcionários vejam que seus esforços estão sendo reconhecidos e apreciados por seus colegas e líderes. É um fator que impacta tanto na satisfação do colaborador, quanto no seu engajamento.

Quais são os fatores que constroem colaboradores engajados?

Como você pode ver, a satisfação e o engajamento do funcionário são importantes e estão interligados, mas a existência da satisfação não significa necessariamente que o trabalhador esteja engajado – e vice versa. 

O engajamento diz respeito à participação do colaborador no dia-a-dia da empresa e sua motivação em gerar resultados. Já a satisfação tem um valor mais profundo, e se traduz no relacionamento entre gestão e colaborador e o que a empresa faz para garantir a qualidade de vida do funcionário.

Assim, não é possível sustentar o engajamento se seus funcionários estão insatisfeitos. Então, primeiramente, a empresa deve construir uma força de trabalho satisfatória, de forma a garantir que as pessoas gostem de seu trabalho, sejam devidamente remuneradas e se sintam seguras e reconhecidas por suas atividades.

Depois, o próximo passo é focar em alguns fatores que constroem o engajamento, como:

Sentimento de pertencimento

O primeiro passo é conectar os valores da sua empresa aos dos seus funcionários. Se empregado e empregador se preocupam com os mesmos princípios, já é um incentivo para que todos se esforcem mais consistentemente no trabalho. Entenda em nosso artigo como o Employer Branding pode ajudar nisso.

Sentimento de participação

Os colaboradores sentem que têm uma participação na empresa quando as linhas de comunicação com colegas e gestores estão abertas e fluindo. E isso acontece quando a gestão confia nos funcionários e suas atividades, garante autonomia na tomada de decisões, bem como mantém a transparência entre os membros da equipe.

Oportunidades de crescimento

Investir em seus funcionários aumenta ainda mais a confiança, sinalizando que você está reconhecendo o potencial deles. Frequentemente, coisas como cursos pagos e eventos de treinamento são melhores incentivos de retenção e engajamento do que até mesmo os planos de remuneração e benefícios mais extravagantes.

3 formas eficazes de aumentar a satisfação e o engajamento dos funcionários

A maioria dos gerentes tradicionais tende a não tomar nenhuma atitude frente à diminuição da satisfação e do engajamento dos funcionários. Isso ocorre porque eles sentem que virar a maré exigiria mudanças institucionais complexas que estão além de seu alcance.

E, embora seja verdade que às vezes os valores da empresa precisam mudar (e que isso precisa envolver os altos escalões da empresa), alguns ajustes podem ser úteis para garantir que os funcionários sejam motivados e produtivos. Confira algumas atitudes que o gerente de Recursos Humanos ou chefe de departamento pode ter para melhorar o cenário:

1. Abandone o controle

As pessoas geralmente ficam mais felizes quando se sentem no controle, então uma boa ideia é que o gestor delegue parte da sua liderança para os colaboradores. Por exemplo, uma boa ideia é incentivar os funcionários a organizar seus próprios horários de trabalho, permitir o trabalho remoto, entre outros.

2. Reduza o estresse

Alguns empregos são estressantes por si só, mas isso não significa que você não pode fazer algo a respeito. A saúde mental tem um grande impacto na satisfação e no envolvimento do colaborador, e o estresse indevido é um grande contribuinte. Permita que o colaborador possa abrir suas insatisfações para os gestores e sugerir mudanças, incentive a prática de exercícios físicos, permita descansos e apoie a psicoterapia.

3. Crie uma atmosfera de crescimento

Isso não significa apenas fornecer oportunidades de educação e treinamento (embora seja uma grande parte disso). Também significa reconhecer quando os funcionários atingem e superam determinados benchmarks e comemorar seus sucessos.

Por que investir em colaboradores satisfeitos e engajados

A satisfação do funcionário é a engrenagem do engajamento. Sem ela, você não será capaz de sustentar o envolvimento dos funcionários a longo prazo e verá sua rotatividade aumentar e a produtividade diminuir. 

Desse modo, certifique-se de que seus funcionários estão satisfeitos e depois aplique estratégias de engajamento. Equipes e funcionários engajados:

  • Relatam uma redução de 41% no absenteísmo;
  • Têm uma taxa de rotatividade 59% menor do que a média;
  • São 21% mais lucrativos do que funcionários desligados;
  • Trazem 43% a mais em receita do que suas contrapartes não engajadas e;
  • São 87% mais propensos a permanecer na empresa por muito tempo.

Uma vez que a satisfação geral de seus funcionários esteja em níveis razoáveis, você pode se concentrar em construir uma rede de engajamento de colaboradores e transformá-los em Embaixadores da sua Marca

A plataforma de Employee Advocacy da Peepi, por exemplo, envolve um sistema estruturado para incentivar e mensurar as atividades de engajamento utilizando gamificação. Através da criação de desafios, você incentiva seus colaboradores satisfeitos a realizarem ações em prol da marca de acordo com os objetivos da sua empresa. Os pontos gerados pelos desafios podem ser trocados por recompensas e classificam os embaixadores em um ranking competitivo.

Quer saber mais? Solicite uma demonstração gratuita!