20 estatísticas de Marketing de Defensores que você precisa saber agora mesmo

Investir nessa estratégia surge como uma necessidade para a maior parte das empresas; veja alguns dos benefícios de adotar essa prática em seu negócio

O universo do digital está em constante transformação.

O Marketing de Defensores já é uma realidade no mundo e está ganhando corpo no Brasil. Trata-se de uma metodologia para identificar os clientes Defensores de uma marca, engaja-los e mobilizá-los para que sejam promotores da Marca de forma espontânea.

Conheça algumas estatísticas e entenda porque você deve investir em Marketing de Defensores em 2019

1 – Tanto o Facebook quanto o Instagram continuam tendo declínios no alcance orgânico em suas postagens. Ou seja, as marcas precisam buscar alternativas para que a sua mensagem se dissemine para o público, sem a necessidade de investimento em publicidade digital. Estima-se que o alcance do Facebook varie de 1 a 2%, enquanto no Instagram tenha caído 30% nos últimos anos. Confira outras estatísticas de redes sociais no Brasil e no mundo.

2 – Os anúncios patrocinados aparecem como opção para as empresas que buscam alternativas para ampliar a divulgação de produtos ou serviços. O problema: o custo da publicidade digital está aumentando 5 vezes mais rápido do que a inflação nos Estados Unidos, de acordo com o estudo da Adobe.

3 – Além disso, a publicidade digital está caindo no conceito dos consumidores. O uso de bloqueadores para esse tipo de anúncio cresceu 30% em um ano. Logo, sua empresa pode estar pagando mais caro pelos Ads, mas não atingindo o seu público preferencial.

4 – Um estudo da Vibrant Media apontou que 50% dos usuários de tablets ou smartphones clicaram sem a intenção em anúncios. Mais importante: essa estatística fala sobre a chamada “cegueira para anúncios” adotada por muitos consumidores, que simplesmente desenvolvem a capacidade de ignorar propagandas enquanto acompanham o seu feed.

5 – De acordo com o Hubspot, 91% dos consumidores consideram os anúncios mais invasivos do que antigamente – algo que inibe o interesse de comprar.

6 – O Marketing de Defensores entra neste momento. Trata-se de uma estratégia que estimula o marketing boca a boca, fazendo com que pessoas que gostam da marca e colaboradores disseminem conteúdos para a sua rede. Uma pesquisa da Nielsen já mostrou que 92% das pessoas confiam nas recomendações feitas por amigos.

7 – Pesquisa realizada pela Global Web Index apontou que as pessoas prestam 2x mais atenção nas postagens e sugestões feitas pelos amigos do que às feitas pelas marcas.

8 – No caso dos colaboradores, estima-se que o engajamento gerado pelo conteúdo disseminado por eles seja 8 vezes maior do que o produzido pela própria empresa.

9 – No mesmo contexto, de acordo com a IBM, os leads obtidos por meio das redes sociais dos empregados são convertidos 7 vezes mais fácil do que potenciais consumidores obtidos de outra forma.

10 – Além disso, o conteúdo disseminado pelos colaboradores tende a ser compartilhado 24 mais vezes do que as informações elaboradas e postadas pela própria empresa, conforme o MLSGroup.

11 – Uma das estratégias adotadas pelo Marketing de Defensores é a de estimular fãs que produzam e disseminem conteúdo sobre a marca e os seus produtos ou serviços. Estudo da Comscore mostrou que, ao combinar o trabalho profissional com as divulgações de fãs, a linha de produtos de uma marca teve um retorno 28% melhor com esse mix – se for considerado apenas o produto em questão, o crescimento foi de 35,3% -, o que vai incidir diretamente sobre as vendas e o lucro.

12 – 82% dos consumidores dos Estados Unidos procuram recomendações antes de efetuar uma compra. Depoimentos positivos ou avaliações negativas podem ser a diferença para vender mais. Os dados são da consultoria Nielsen.

13 – 70% da percepção de uma marca é formada pelas experiências vividas por outras pessoas. Portanto, buscar a excelência em cada atendimento é um diferencial que pode representar um excelente resultado.

14 – Um relatório da Extole indicou que, ao adotar o Marketing de Defensores, é possível que o número de novos consumidores chegue a 50% do total de vendas. Por isso, é importante oferecer também uma boa experiência a fim de manter esses novos clientes em seu negócio.

15 – De 20 a 50% das vendas são concretizadas apenas após uma pesquisa do consumidor com conhecidos ou avaliações encontradas na internet. O artigo da consultoria Mckinsey mostra que isso é ainda mais comum em produtos considerados caros ou quando vão comprar um item ou contratar um serviço pela primeira vez.

16 – Pior: cerca de 64% dos clientes vão continuar procurando por informações antes de efetivar negócio. Por esse motivo, quanto mais informações positivas estiverem disponíveis online, maiores serão as chances de ter sucesso – e a lógica vale no sentido contrário.

17 – O marketing boca a boca e as recomendações dos amigos aumentam em 50 vezes a possibilidade de se efetuar uma compra – indica o mesmo estudo da Mckinsey.

18 – O Marketing de Defensores ou Advocate Marketing resulta em um aumento de 5x no tráfego gerado para um site empresarial e um crescimento de 25% em leads – potenciais consumidores de um negócio. As informações são de um relatório do Edelman Trust Barometer.

19 – Estima-se que o retorno do Marketing de Defensores seja de 650%: ou seja, cada R$ 1 investido resultaria em R$ 6,50 de retorno. A estimativa foi feita por um grupo de responsáveis pelo marketing empresarial de diversas companhias e compilada pela Tomoson.

20 – No mesmo estudo, 51% dos profissionais analisam que, após adotarem o Marketing de Defensores, conquistaram clientes melhores. Em outras palavras, aqueles que gastam mais e estão dispostos a divulgar os produtos.

Ficou convencido da importância em adotar o Marketing de Defensores? Trata-se de uma estratégia capaz de gerar benefícios em todos os setores: do ganho de imagem, da melhoria da comunicação com os consumidores ao aumento dos resultados financeiros efetivos, assim como a conquista dos novos clientes.

Quer saber mais? Baixe gratuitamente o Ebook “Guia Completo do Marketing de Defensores”