First, Second e Third Party Data: O que são e como usar essas estratégias

First, Second e Third Party Data: Entenda o que são os Dados Primários, Secundários e Terciários, para que servem e como usá-los na sua Estratégia!

Falamos sempre por aqui a respeito de tecnologia na era digital, fundamental direcionar as estratégias de marketing de uma empresa na atualidade. Com o advento da internet e as milhares de informações que circulam pela web, o desafio é filtrar essas informações a fim de obter dados relevantes para a estratégia de um negócio.

É neste cenário que se torna fundamental entender melhor sobre First, Second e Third-party Data, fundamentais para que as empresas consigam obter informações a respeito do seu público de formas variadas.

No artigo de hoje, você vai entender melhor qual a diferença entre essas estratégias, qual a mais indicada para o seu negócio, para que servem, quais as vantagens em utilizá-las e muito mais. Boa leitura!

O que são First, Second e Third Party Data?

Já falamos por aqui a respeito do Data Marketing, uma estratégia que utiliza os dados como base principal para a tomada das decisões da empresa, desde a definição de personas, criação de campanhas, produção de conteúdos, entre outros.

Contudo, essas informações podem ser obtidas de diversas maneiras, que podem influenciar na sua confiabilidade. A seguir, você vai entender melhor como funcionam algumas estratégias utilizadas para a obtenção de dados dos clientes.

Dados first-party (primários)

Os dados first-party são as informações próprias de uma empresa, coletadas diretamente por ela. Esses dados são referentes aos dos consumidores que tiveram algum contato com a marca.

Eles podem ser coletados através de campanhas de marketing, formulários, ferramentas de monitoramento, redes sociais, pesquisas, entre outros. Por serem coletados pela própria empresa acabam sendo mais confiáveis, pois ela é quem define os parâmetros e métricas mais relevantes.

Dados second-party (secundários)

Os dados second-party são aqueles compartilhados entre empresas que atuam no mesmo segmento, mas não são concorrentes diretos. Essas marcas costumam trocar informações primárias para construir um perfil mais completo do seu público.

Dessa forma, um consultório de nutrição, por exemplo, pode compartilhar, ou vender, seus dados para uma academia. Com isso, a academia terá acesso a informações dos pacientes que precisam melhorar seu estilo de vida e torná-la mais saudável, podendo contatá-los para oferecer um plano e direcionar suas campanhas de forma mais assertiva.

Portanto, os dados second-party de uma empresa B, são as informações primárias de uma empresa A compartilhadas com a empresa B, de forma que ela não precise coletar esses dados por conta própria.

Dados third-party

Já os dados third-party, são aqueles fornecidos por provedores de dados que reúnem dados de fontes variadas online ou offline. Essas informações podem ajudar a entender melhor os hábitos de consumo do público-alvo, o que facilita o entendimento da jornada de compra do consumidor.  

Entre as principais características dos dados third-party, esta a sua abrangência, pois permitem analisar a jornada do cliente como um todo, desde a sua busca por um determinado produto ou serviço, até a tomada de decisão, quando ele decide efetuar a compra ou contratação.

Esses dados podem ser obtidos através de diversos canais abertos de aquisição e atendem diversos tipos de negócio. Eles são muito utilizados por empresas que costumam trabalhar com grandes volumes de informação, contudo, por se tratar de dados mais amplos e que também podem ser obtidos pela concorrência, acabam não sendo tão eficazes para destacar a sua empresa.

Para que eles servem e por que são importantes?

As três categorias de dados que citamos acima, podem ser usadas com diferentes objetivos na estratégia de um negócio, seja para personalizar os serviços oferecidos, desenvolver um novo produto, entender melhor a jornada de compra dos clientes, direcionar as estratégias de marketing de forma mais assertiva, entre outros. 

É importante ressaltar que todas as categorias podem ser usadas juntas ou de forma separada, a fim de aumentar a inteligência competitiva de um negócio. Quando utilizados juntos, esses dados contribuem para fazer uma análise mais completa do perfil do consumidor, ajudando a direcionar melhor as campanhas, aumentar o ROI, diminuir o churn rate e, um ponto bem importante, fazer mais vendas. 

Quanto trabalhados de forma separada, os dados que podem ser mais benéficos para uma estratégia de marketing são os de first-party, pois entregam informações mais precisas e confiáveis ao seu negócio.

Ao levantas seus próprios dados a respeito dos clientes, a empresa consegue desenvolver estratégias mais assertivas de retenção de clientes, de relacionamento com os consumidores, entre outras.

Por se tratar de dados próprios da empresa, eles acabam sendo mais confiáveis, pois, além das fontes de informação serem conhecidas, é possível acompanhar de perto seu processo de captação, para garantir que eles estejam de acordo com as leis mais recentes de proteção de dados, como a LGPD, por exemplo. 

Unidos, os dados first, second e third-party, ajudam a enriquecer a bases de informações das empresas, para entender melhor o perfil dos consumidores e oferecer uma melhor experiência ao cliente em todas as etapas da sua jornada.

Vantagens de utilizar os First-Party Data

Os dados first-party, aqueles obtidos pela própria empresa, são excelentes para impulsionar um negócio. Um bom exemplo disso, é são algumas empresas que utilizaram essas informações em suas estratégias, como o Youtube, a Netflix e o Spotify, por exemplo.

Essas empresas utilizaram os dados first-party a fim de entender melhor o comportamento do consumidor em suas plataformas, dessa forma, conseguem recomendar conteúdos conforme o perfil do usuário e a análise do padrão de conteúdo consumido.

A metodologia ajuda a oferecer uma experiência personalizada aos consumidores, além de fortalecer a aproximação entre marca e cliente. Além disso, uma vez que a empresa que gera os dados é a mesma que os utiliza, essas informações podem ser captadas de forma a atender de especificamente as necessidades e objetivos de empresa. 

Confira a seguir mais algumas vantagens para as empresas que optam por gerar seus próprios dados:

Informações de mercado mais precisas

Nada melhor do que a própria empresa captar e analisar as informações de seus próprios clientes. Isso porque é ela quem está em contato direto com o consumidor através de diversos canais, utilizando uma estratégia omnichannel.

Para isso, a empresa utiliza seus diversos canais, como chat, WhatsApp, site, e-mail, entre outros, para acompanhar o comportamento dos seus clientes e construir suas estratégias a partir dessas informações.

lovebrands

Ajuda a desenvolver campanhas e produtos

Tendo em mãos informações detalhadas a respeito do seu público, fica muito mais fácil para a empresa desenvolver campanhas e produtos mais assertivos, alinhados com o perfil dos consumidores e direcionados para as suas necessidades.

Vale lembrar que as informações obtidas pela empresa, também ajudam a entender melhor o mercado, logo, também a concorrência, possibilitando identificar novas tendências e demandas dos consumidores.

Oferece dados mais precisos

Como já mencionamos, os dados first-party, ou seja, aqueles obtidos pela própria empresa, são mais específicos do que os dados fornecidos por empresas terceirizadas. 

Isso porque a organização que coleta suas próprias informações, o faz com base na interação direta com o público em diversos momentos da sua jornada de compra.

Possibilita desenvolver campanhas mais assertivas

Falamos isso sempre por aqui, mas vale a pena repetir: quanto mais você conhece o seu público, melhor você consegue desenvolver e direcionar suas campanhas de marketing.

Quando você baseia as decisões da sua empresa na análise de dados adquiridos pelo contato direto com o seu público, melhor se torna sua estratégia de Marketing Digital, possibilitando oferecer aos clientes as soluções que eles buscam e não conseguem encontrar em outras empresas.

Ajuda a aprimorar seus produtos e serviços

Semelhante ao tópico anterior, ao conhecer bem o seu público, com base nos dados first-party, é possível desenvolver produtos e serviços que atendam às necessidades do seu público de forma assertiva.

Essas informações, possibilitam obter diversos insights para desenvolver aquilo que o seu público busca. Vale lembrar que essas informações coletadas diretamente pela empresa, nada mais são do que a voz do cliente, sem nenhuma interferência, portanto, informações confiáveis e relevantes. 

Vale lembrar que o objetivo principal é sempre garantir a satisfação dos clientes, o que consequentemente ajuda a melhorar a fidelização de clientes, o marketing boca a boca, e também indicadores como ROI e LTV.

Confira: Saiba o quanto a Peepi pode ser efetiva para o seu negócio com a nossa calculadora de ROI exclusiva!

Qual a relação com o CRM e como ele pode ajudar?

O CRM (Customer Relationship Management), em português “Gestão de Relacionamento com o Cliente”, é um sistema que ajuda a centralizar e organizar as informações dos clientes, bem como registrar suas interações com a empresa.

Dessa forma, quando a empresa utiliza meios próprios para a aquisição de dados dos consumidores, isso possibilita alimentar seu CRM com informações mais completas e confiáveis. Isso facilita o trabalho de automação de campanhas e também ajuda na conquista dos OKRs do negócio.

As empresas que optam por utilizar seus próprios meios para a aquisição de dados, como sistemas de CRM e outros, acabam saindo na frente da concorrência, principalmente quando o assunto são estratégias de retargeting e remarketing, que só são possíveis a partir de dados first-party. 


Independente da forma utilizada pela sua empresa para obter os dados dos clientes, que pode ser através de dados first, second ou third-party data, é fundamental trabalhar com esses dados a fim de oferecer a melhor experiência possível aos consumidores.

Um dos pilares para obter dados confiáveis a respeito do seu público de forma direta, é sendo uma marca humanizada e mantendo um contato direto e próximo aos clientes.

Confira nosso Webinar Gratuito:

comunidades de marca