6 marcas que se deram bem com conteúdo gerado pelo usuário
peepi

6 Marcas que se deram bem com o conteúdo gerado pelos usuários

Um dos maiores desafios que as empresas e seus profissionais de marketing é a geração e disseminação de conteúdo.

Já imaginou conseguir isso, com um baixo custo e utilizando poucos recursos internos?

A solução pode estar no Conteúdo Gerado pelo Usuário, conhecido também com UGC – User Generated Content.

Graças ao avanço que a internet teve nos últimos anos, as empresas passaram a ter possibilidade de ter novos produtores de conteúdos: os seus clientes, que nesse caso são defensores da marca.

Com a facilidade em criar e compartilhar conteúdo atualmente com as redes sociais como Facebook, Twitter, Instagram, Snapchat e tantas outras, a geração de conteúdo pelo usuário tornou-se uma grande arma para empresas que queiram aumentar seu leque de conteúdo e ao mesmo tempo atingir novas audiências.

Confira abaixo 6 empresas que apostaram nessa estratégia e se deram muito bem!

GoPro

gopro-awards-feature

Apesar de ter sido lançada em 2002, a GoPro, empresa responsável por produzir aquelas pequeninas câmeras muito usadas para gravar vídeos que vão de esportes radicais até baladas, bombou mesmo na internet e no mercado depois de 2011, quando adotou um novo codec de vídeo e começou a usar as redes sociais como base de sua estratégia de comunicação.

Em seu perfil no instagram, por exemplo, a empresa posta diariamente as melhores fotos tiradas por usuários com suas câmeras.

O sucesso dessa estratégia foi tamanho que hoje em dia a GoPro já até criou o GoPro Awards, um prêmio em dinheiro destinado aos usuários que enviarem as melhores fotos ou vídeos para a marca.

Croasonho

croasonho

A rede de lojas Croasonho possui clientes apaixonados por seus doces e salgados. A loja incentiva que seus clientes compartilham fotos de seus produtos utilizando a Hashtag #Croasonho.

Só no Instagram são mais de 42 mil posts utilizando a #Croasonho.

O conteúdo criado pelo usuário agrega credibilidade para a marca e ajuda a conquistar novos clientes.

Imagine quantas pessoas foram impactadas por esses mais de 42 mil publicações com a hashtag e que ficaram tentandos a provar uma das delícias da Croasonho.

Starbucks

white-cup-contest

Nada como entregar uma tela em branco para alguém desenhar — e se essa tela for o copo de um dos cafés mais amados do mundo, melhor ainda.

Foi pensando nisso que surgiu o White Cup Contest, uma ação muito comentada da Starbucks que entregava copos em branco para os clientes para que eles desenhassem e postassem suas artes nas redes sociais em busca de um prêmio que não envolvia dinheiro, mas sim um belo status social: o vencedor teria sua arte imortalizada em uma edição limitada de copos da empresa.

Coca-Cola

latas-nomes-cocacola

Com uma ideia bem simples — colocar milhares de nomes diferentes em suas latinhas —, a Coca-Cola iniciou uma ação na Austrália em 2011 que fez tanto sucesso que, além de aumentar em 2% as suas vendas no Reino Unido, acabou ganhando diversos prêmios ao redor do mundo e virando assunto em tudo quanto é lado, de fotos em redes sociais até vídeo humorístico, que depois ainda ganhou uma bem-humorada resposta da empresa.

National Geographic

national-geographic

Outra empresa que se deu bem trabalhando a criação de conteúdo pelos usuários foi a National Geographic, conhecida por capturar belas imagens da natureza para seus documentários e revistas ao redor do mundo.

Usando uma estratégia bem parecida com a da GoPro, a marca aproveita as redes sociais de fotos como o Instagram para promover seus produtos e divulgar as melhores fotos de seus seguidores por lá.

MasterChef Brasil

masterchefbr

Sucesso na TV aberta e na internet, o MasterChef, da Band, misturou como ninguém os ingredientes das redes sociais e da culinária para criar o maior produto da emissora — que chegou a perder 65% dos telespectadores depois do fim do programa.

Apostando no Twitter como ferramenta principal de sua estratégia na web, o programa adotou a hashtag #MasterChefBR para monitorar as interações das pessoas com a marca.

E como essa é considerada a melhor rede social para acompanhar eventos ao vivo, no último e mais assistido episódio, a Band contabilizou cerca de 1,8 milhão de comentários envolvendo o nome do programa, gerando mais de 65 milhões de impressões — ou seja, quantidade de vezes que a mensagem foi vista na plataforma.

Com tantos exemplos de empresas que se deram bem usando a criação de conteúdo pelos clientes por aí, talvez seja hora de você pensar em como usar essa estratégia para fazer com que todo mundo fale e interaja com a sua marca, não é mesmo?

Tem alguma ideia para isso? Compartilhe nos comentários