Social Commerce: entenda como funciona e como aplicar esse modelo no seu negócio

Social Commerce é uma estratégia que une o e-commerce com as redes sociais, a fim de interagir com os clientes e vender mais. Saiba como funciona.


Você já ouviu falar em Social Commerce? 

Se a sua resposta ainda não é afirmativa, não se preocupe. Vamos te explicar como esse modelo de negócios pode ser aplicado para ajudar sua empresa a vender mais.

Nos últimos anos, os hábitos de consumo da população brasileira mudaram muito. A internet passou a fazer parte do nosso cotidiano e transformou a maneira como compramos e nos relacionamos com as marcas.

É neste cenário que as redes sociais se tornaram um poderoso canal não apenas de comunicação entre as marcas e seu público-alvo, como também um poderoso canal de vendas. Entenda como funciona o Social Commerce, quais as vantagens de apostar nessa estratégia e como colocá-la em prática no seu negócio.

O que é Social Commerce e quais os tipos existentes?

Conforme estudos, o termo Social Commerce é resultado da fusão das palavras  “mídias sociais” e “e-commerce”. Dessa forma, o comércio social consiste na utilização de mídias sociais, tais como Facebook, Instagram, entre outras, visando  concretizar transações comerciais. 

Neste contexto, os comerciantes tiveram que se adequar a essa nova forma de interação com os clientes, dado que o modelo de vendas se assemelha ao comércio físico. 

Isso porque no e-commerce, os consumidores entram no site e realizam suas compras de forma autônoma. Já no Social Commerce existe uma interação maior, de forma que o relacionamento com o cliente é mais aprofundado.

Em resumo, o Social Commerce nada mais é do que um modelo de vendas que utiliza as redes sociais como canal de comercialização de produtos. Ou seja, ao invés de se dirigir a uma loja física para comprar um produto, o cliente poderá fazer suas compras direto de uma rede social.

Existem diversos tipos de Social Commerce, mas os mais comuns são:

  • Link de produtos em postagens;
  • Botões de compra em postagens;
  • Lojas virtuais em páginas ou perfis;
  • Marketplace;
  • Venda direta em aplicativos.

Existem ainda sites de compra coletiva, que também partilham dos conceitos de social  commerce, além de clubes de desconto, entre outros. Essas comunidades online também atuam como fontes de consulta de conteúdos, opiniões de clientes e troca de informações entre os consumidores, proporcionando mais confiança na decisão de compra.

Como funciona e quais redes sociais utilizar?

De maneira geral, existem duas formas de usar esse modelo de negócios: a primeira é utilizar a plataforma das próprias redes sociais para montar uma loja. 

Essa opção é bastante comum no Facebook e Instagram, por exemplo, em que é possível montar uma loja e disponibilizar uma espécie de catálogo ou vitrine, onde os consumidores conseguem visualizar os produtos ofertados, fazer buscas, ver depoimentos de clientes e finalizar compras.  

A segunda forma de utilizar as redes sociais no comércio eletrônico é para a produção de conteúdo e divulgação da página da empresa. Dessa forma, é possível compartilhar informações relevantes a respeito dos produtos e serviços oferecidos e inserir links de direcionamento para o site.

Essa é uma maneira de estar próximo dos clientes, tirar suas dúvidas de forma mais próxima a respeito das soluções oferecidas. Difere de disponibilizar uma página de FAQ, por exemplo, que ajuda os clientes, mas de forma impessoal sem um contato com um vendedor.

As empresas podem utilizar qualquer rede social para aplicar o Social Commerce e, essa escolha dependerá do tipo de cliente do seu negócio e, principalmente, da sua persona. Vale lembrar que existem redes sociais que são mais indicadas para a venda de produtos, como o Instagram, por exemplo, e outras que são mais indicadas para a venda de serviços, como o LinkedIn.

Vantagens de investir no Social Commerce

Este modelo de negócio proporciona inúmeras vantagens para empresas e consumidores. Para os clientes, ele possibilita a interação com outros consumidores  antes de fechar uma compra, proporcionando mais confiança e segurança para a tomada de decisão.

Já para as empresas, o Social Commerce possibilita conhecer melhor o seu público, visto que as interações são mais diretas. Além disso, a empresa tem acesso ao perfil dos clientes nas redes sociais, e consegue obter informações a respeito dos seus gostos e interesses, possibilitando inúmeros insights.

Dessa forma, a marca consegue ofertar o produto certo para cada cliente, uma vez que conhece suas preferências. Além  disso, a divulgação nas redes sociais é mais eficaz, pois tem mais alcance e possibilita que a marca seja conhecida pelo maior número de pessoas.

Apesar de ser um modelo de negócios muito semelhante ao e-commerce, o Social Commerce tem algumas vantagens particulares, tais como:

  • Maior alcance de público-alvo;
  • Maior taxa de conversão;
  • Oferece diversas formas de pagamento;
  • Possibilita mais facilidade e praticidade nas compras;
  • Maior interação com o consumidor;
  • Maior agilidade nas entregas.

Como criar um Social Commerce?

Para criar um Social Commerce é preciso seguir alguns passos.

Primeiramente, você deve definir a sua persona utilizando, por exemplo, as informações coletadas em uma pesquisa de marketing.

Em seguida, você precisará determinar quais são os produtos ou serviços que deseja vender. Ao escolher os produtos, é importante considerar as tendências do nicho e o potencial de mercado.

Por fim, é preciso definir como será a venda, conforme os modelos de Social Commerce que citamos anteriormente. Isso inclui escolher a rede social que será utilizada como canal de venda, além de definir se haverá um perfil ou página para fazer a divulgação dos produtos.

Se você decidir criar um perfil ou página, terá algumas opções de venda, como a criação de uma loja virtual, por exemplo. Para isso, você pode optar por criar uma loja virtual dentro da rede social ou em um site próprio, de forma que o link da loja seja vinculado ao perfil ou página das redes sociais.

Agora, se você optar por criar uma loja virtual dentro da própria rede social, é preciso escolher uma plataforma de Social Commerce. Existem diversas plataformas no mercado para isso, como o Instashop, por exemplo.

Se você optar por criar uma loja virtual em um site próprio, deve criar links de produtos nas publicações do perfil ou página, ou ainda desenvolver botões de compra que podem ser inseridos dentro das publicações. Você também pode optar por criar um Marketplace.


Como vimos, o Social Commerce é uma excelente estratégia para as empresas, pois permite uma divulgação mais efetiva da marca e, consequentemente, melhora as vendas e o relacionamento com os clientes.

Outro possível resultado dessa metodologia, é transformar seus clientes em defensores da marca, dado que as redes sociais estimulam os consumidores a darem a sua opinião a respeito da experiência com a maraca.

Assista o Webinar da Peepi em parceria com a Etus e saiba Como criar defensores de marca nas redes sociais.